Conecte-se Conosco

Negócios

Faturamento do e-commerce brasileiro tem alta de 27%

Publicado

em

O e-commerce brasileiro registrou um faturamento recorde em 2021, totalizando mais de R$ 161 bilhões, um crescimento de 26,9% em relação ao ano anterior. O número de pedidos aumentou 16,9%, com 353 milhões de entregas, segundo levantamento da Neotrust, empresa responsável pelo monitoramento do e-commerce brasileiro. O valor médio por compra também registrou aumento de 8,6% em relação a 2020, atingindo a média de R$ 455.

No balanço trimestral, um dos destaques é o aumento no número de pedidos do primeiro trimestre, que passou de 49,9 milhões em 2020 para 78,5 milhões em 2021.

“O varejo on-line continua com tendência de crescimento, mesmo após a flexibilização das restrições devido à pandemia e a retomada gradual do comércio físico. Apenas no quarto trimestre de 2021, foram realizados 101,6 milhões de pedidos, contra 86,6 milhões em 2020. O faturamento atingiu R$ 46,4 bilhões em 2021, contra R$ 38,7 bilhões em 2020”, destaca Paulina Dias, líder da área de inteligência da Neotrust, responsável por fazer levantamentos e análises referentes ao varejo on-line.

As categorias com mais pedidos feitos em 2021 são: moda, beleza e perfumaria, e saúde – que apresentou crescimento de 87% no faturamento de venda de remédios pela Internet.

Celulares, eletrodomésticos e eletroeletrônicos foram os segmentos com maior faturamento no ano passado. As regiões de maior destaque são o Sudeste, que concentrou 62,3% das encomendas de 2021, e o Nordeste, com 15,1% – o equivalente a 3,5 pontos percentuais a mais que em 2020 para a região.

Os resultados por gênero indicam que as mulheres respondem por 58,9% dos pedidos, frente a 41,1% dos homens. O ticket médio feminino, porém, é menor que o masculino: R$ 387 contra R$ 552, respectivamente.

O índice por idade demonstra que as compras on-line vêm predominantemente da faixa etária dos 36 a 50 anos, representando 34,9%, e dos 26 a 35 anos, representando 32,1% do volume total. Já as compras feitas por pessoas com mais de 51 anos passaram de 15,5% em 2020 para 16,6% em 2021.

O levantamento mostrou ainda que o cartão de crédito continua sendo a forma de pagamento preferencial dos brasileiros no e-commerce.

69,7% das compras foram feitas com cartão de crédito,
16,9% com boleto bancário,
11,1% com outras formas de pagamento (como wallet e cashback)
2,3% via PIX.

Embora ainda sejam pouco expressivos, os pedidos pagos com PIX aumentaram em 2021: em janeiro representavam 1% entre todos os meios de pagamento e em dezembro atingiram 4%.

Receita deve crescer em 2022

Segundo projeção da empresa para 2022, a receita do e-commerce deve crescer cerca de 9%, atingindo um faturamento recorde de R$ 174 bilhões neste ano. Porém, a inflação, o dólar alto e a projeção pessimista do PIB brasileiro são fatores que podem impactar negativamente o crescimento do varejo on-line.

A expectativa é que os pedidos pela Internet aumentem em 8%, totalizando 379 milhões de compras. Já o ticket médio deve se manter estável, com aumento de cerca de 1%, estimado em R$ 460 por pessoa.

As categorias que mais devem crescer são:

Eletrônicos (21%),
Eletro portáteis (19%),
Alimentos e bebidas (18%).

Já os segmentos de maior faturamento devem ser:

Telefonia (R$ 32,4 bilhões),
Eletrodomésticos (R$ 23,7 bilhões)
Eletrônicos (R$ 18,6 bilhões).

“Para 2022 é esperado que haja uma expansão no marketplace, com as empresas mais preparadas para este canal. Outra tendência é a melhoria na interação do físico com o digital, que irá permitir mais eficiência nas compras e na relação do consumidor com a loja”, analisa Fabrício Dantas, CEO da Neotrust.

“Em relação aos pagamentos, as carteiras digitais e o PIX devem continuar em alta, de forma a ampliar sua participação no e-commerce. Com um mercado cada vez mais competitivo, o varejo on-line deve apostar em fretes mais rápidos e funcionais, por exemplo, como forma de atrair e reter clientes”, explica Dantas.

Novos consumidores para o e-commerce

A pandemia da COVID-19 acelerou a migração das pessoas para o consumo digital. Uma pesquisa feita pela consultoria Ebit/Nielsen, em parceria com o Bexs Banco, mostra que o e-commerce do Brasil cresceu, em 2020, 41% e ganhou novos 13 milhões de consumidores. O avanço foi possibilitado pelo fechamento das lojas físicas e medidas de restrição de circulação.

A expectativa é de crescimento do comércio eletrônico entre os brasileiros para os próximos anos. De acordo com a pesquisa Future of Retail, feita pela Euromonitor International e o Google, a projeção de crescimento entre 2021 a 2025 é de 42%. E levantamento também aponta que 25% dos novos consumidores são da geração Z, nascidos entre 1995 e 2010.

“O brasileiro está se adaptando ao ambiente de compras on-line, e um ponto bastante curioso é que, embora as restrições da COVID tenham impulsionado-as, o e-commerce concretizou suas projeções de crescimento para os próximos anos, mesmo depois do fim da pandemia”, explica Leiza Oliveira, CEO da Minds Idiomas.

Segundo a empresa, dois em cada 10 brasileiros compram cursos via web.

“Esse crescimento está ligado não só ao fato das pessoas terem o costume de colocar em prática seus planejamentos e suas metas no início do ano, como também à onda de adeptos ao e-commerce, que chegou para facilitar e agilizar o processo de compra no mercado”, conclui Leiza.

Mas, ela ressalta que o consumidor é sensível ao valor do frete. Quanto maior o valor para envio da mercadoria, maior é a chance de uma reclamação sobre qualquer aspecto da compra.

Produtos com o frete grátis resultaram em 43% dos pedidos feitos, tendo apenas 5,9% de queixas, se revelando um grande motor para o comércio eletrônico.

Negócios

Empreendedorismo em família: irmãos criam a Descomplique Assessoria Locatária no interior de SP

Publicado

em

De

  • A empresa tem como objetivo solucionar problemas na devolução de imóveis;
  • A previsão dos empresários é que em 2024 a rede de franquias se espalhe pelo interior do Estado e alcance 20 novas unidades abertas;

A trajetória da Descomplique, começou em 2019 com os irmãos Daniel e Thiago e é marcada por uma visão inovadora no setor imobiliário.

Ter uma empresa que pudesse ajudar a solucionar problemas na devolução de imóveis alugados, foi uma ideia que surgiu a partir da vivência no mercado de trabalho em que Thiago atuava. Em uma imobiliária, na cidade de Limeira e testemunhava as complexidades e dores enfrentadas pelos inquilinos no processo de devolução dos imóveis, que o empreendedor resolveu fazer lago para mudar essa realidade.

A partir dessa percepção, munido de sua expertise comercial e operacional, Thiago uniu forças com seu irmão Daniel, que já possuía uma empresa de pintura e reparos e decidiram empreender e fundar a Descomplique Assessoria Locatária. A proposta da Descomplique era clara: auxiliar inquilinos no momento da desocupação, garantindo que os imóveis fossem devolvidos em perfeitas condições, evitando dores de cabeça tanto para os inquilinos quanto para as imobiliárias.

O processo começou em Limeira, mas rapidamente a Descomplique chamou a atenção de imobiliárias de outras cidades, como Piracicaba e Americana. Esse interesse foi um indício claro de que a dor que a empresa se propunha a solucionar não era única, mas sim uma demanda geral no mercado imobiliário. Essa percepção levou os irmãos a expandirem rapidamente para atender a essas novas regiões.

No primeiro ano de atuação, a Descomplique experimentou um crescimento notável, conquistando a confiança de imobiliárias e consolidando sua presença em diversas cidades do interior paulista. O sucesso da empresa se deve não apenas à execução eficiente dos serviços, mas principalmente à ênfase na transparência e orientação oferecidas aos clientes.

O diferencial da Descomplique não está apenas na realização de reparos e manutenções, mas na comunicação clara e na educação dos clientes sobre cada etapa do processo. Esse enfoque evita conflitos no final da locação e estabelece uma relação de confiança entre a empresa, os inquilinos e as imobiliárias parceiras.

A escolha do nome “Descomplique” reflete exatamente a missão da empresa: simplificar um processo tradicionalmente complexo. A ideia é oferecer uma solução que torne a desocupação de imóveis mais fácil e compreensível, eliminando complicações desnecessárias.

Conscientes da necessidade de manter o controle de qualidade e propósito da empresa, os irmãos optaram por adotar o modelo de franquia. Essa decisão não apenas permite a expansão nacional da Descomplique, mas também assegura que cada unidade mantenha os princípios de transparência, orientação e intermediação.

Atualmente, a Descomplique já solidificou sua presença em diversas cidades do interior paulista, como Limeira, Piracicaba, Americana, Sumaré e Mogi Mirim. Essa expansão estratégica permitiu à empresa atender a uma demanda crescente e estabelecer parcerias sólidas com imobiliárias locais. Contudo, os planos de crescimento da Descomplique não param por aí. Com uma visão ambiciosa, a empresa tem a intenção de expandir sua atuação para o interior dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. 

Além disso, o litoral paulistano surge como uma possibilidade promissora para a Descomplique, que pretende levar seus serviços inovadores e sua abordagem transparente a uma gama ainda maior de regiões, consolidando-se como referência nacional no mercado imobiliário. Essa estratégia de expansão reflete o compromisso da Descomplique em oferecer soluções descomplicadas e eficazes em diversas localidades, atendendo às variadas necessidades do mercado.

A trajetória da Descomplique é um exemplo de como uma visão inovadora e centrada no cliente pode transformar um nicho específico do mercado. Ao atuar como uma ponte entre inquilinos e imobiliárias, a Descomplique não apenas realiza serviços, mas constrói relações mais transparentes e eficientes no universo imobiliário brasileiro. O objetivo é claro: tornar-se referência nacional, levando os benefícios da descomplicação para todo o país.

Continue lendo

Destaque

Marketing Viral: Camila Silveira dá 22 dicas de como produzir conteúdos altamente persuasivos

Publicado

em

De

A especialista em redes sociais Camila Silveira ensina como fazer um conteúdo viralizar

Você já deve ter se perguntado como uma pessoa ou empresa consegue produzir um conteúdo viral, que é aquele que se espalha rapidamente e ganha grandes proporções. De acordo com a especialista em vendas nas redes sociais, Camila Silveira, existem diversos fatores combinados para que uma publicação viralize.

“Conteúdo bom é conteúdo que atrai, gera relacionamento que trazem resultados. Não importa o tamanho. Manter uma rede social em crescimento ou canal começa a ser uma tarefa mais difícil e quanto mais consistente na produção de conteúdo você for, melhor será o resultado. Quem está começando precisa ter estratégias, porque, nessa fase, todo mundo vive a síndrome da folha em branco, que nos faz ter os seguintes tipos de pensamento: “O que eu escrevo? Parece que eu já falei tudo o que tinha para falar, e agora?”, disse.

Camila Silveira elencou 22 estratégias de conteúdos infalíveis independentemente do seu tipo de negócio .

1- Como fazer

“Uma das buscas mais comuns do Google começa com as palavras ‘como fazer’. Aproveite essa demanda e ensine seu público a fazer o que ele deseja – seja um penteado para formatura, seja construir uma estante de madeira. Por exemplo:”Como fazer progressiva em casa”

2- Estudo de caso:

Casos reais de sucesso sempre atraem porque mostram dados e explicam ao público como conquistar determinado objetivo. Por exemplo: “Estudo de caso: Segredos da Audiência”

3- Perguntas e respostas:

Aproveite os comentários dos seus seguidores para gerar conteúdo. Esse tipo de post costuma ser mais eficiente quando feito em vídeo, onde há uma maior interação. Todas as plataformas já permitem respostas em vídeo onde está ação será importante para “agradar” o algoritmo e encantar os seguidores por estarem tendo a atenção buscada.

4-Checklist:

Esse formato atrai por ser prático e bem objetivo, por exemplo: “Checklist para organizar seu casamento sem dor de cabeça”, uma forma de transformar um momento tenso com uma solução simples que mostra que você sabe a solução para os sonhos.

5-Entrevista:

Aqui entram entrevistas com alunos que aplicaram o seu método, especialistas em sua área ou pessoas que fizeram algo relevante e que pode ser um conteúdo útil para quem está assistindo. Neste caso, uma boa estratégia é intercalar entrevistas com pessoas com um desenvolvimento maior dentro de sua profissão quanto quem está iniciando e pode relembrar seu passado com ensinamentos.

6-Post comparação todo mundo gosta de saber se uma coisa é melhor ou pior que a outra. Por isso, pode apostar sem medo nos posts de comparação – ainda mais se você tiver um e-commerce.

7-Melhores do ano:

Isso engaja o internauta, pois ele vai ficar um tempão navegando no seu conteúdo. E é uma forma de reaproveitar seu conteúdo. Por exemplo: “Os melhores discursos

do ano”.

8-Desafio:

São publicações divertidas, em que você cumpre um desafio e repassa a brincadeira para o internauta. Cuidado, pois o desafio deve ser lúdico e nunca colocar a vida de ninguém em risco. Por exemplo: “Desafio: quem conhece melhor o outro”.

9- Estatística:

Quando você tem estatísticas próprias para compartilhar, o post funciona muito bem, pois você está mostrando seu conhecimento naquela área. E pode pesquisar a maior parte delas no Google.

10- Quiz:

Os testes são muito populares e podem ser aplicados em qualquer temática. Eles atraem muito a atenção. Por exemplo:”Teste seus conhecimentos em marketing”.

11-Post colaborativo

Convide especialistas para falar sobre determinado assunto – além de gerar bom conteúdo, esses posts têm mais compartilhamentos, pois quem participou vai compartilhar. Isto será ótimo para o engajamento pela unificação dos públicos

12- Frases inspiradoras:

As pessoas amam ser inspiradas, não importa o nicho! Pode partir daqueles pensamentos ou frases que quando fala acha que faz total sentido. Isto vai gerar identificação com o público e relacionamento

13- Melhores posts:

E um bom jeito de selecionar seu conteúdo, você pode agrupá-los por assuntos semelhantes. Por exemplo:”Os melhores posts sobre empreendedorismo que você precisa

ler agora”

14-Melhores da semana:

Reúna os posts que deram mais o que falar naquela semana. Por exemplo: “Os melhores vídeos ou assuntos desta semana”.

15- Pessoas para você seguir:

Indique perfis para seu público, isso é legal porque sempre pode gerar uma retribuição de quem foi indicado por você. Por exemplo: “7 canais do YouTube de empreendedorismo digital para você seguir”.

16- Post comemorativo:

Aproveite as datas especiais, todos os dias tem algo a comemorar e isto pode ser facilmente localizado no Google. Mas lembre-se de fazer uma conexão com seu objetivo.

17-Making of

As pessoas gostam de saber o que acontece “nos bastidores” do seu dia a dia, exatamente como nos bastidores de um reality. Mostre como é sua mesa de trabalho e conte a elas sua rotina – use fotos e vídeos para ilustrar. Por exemplo: “Por trás dos bastidores”

18- O que há de novo:

Conte as novidades da sua empresa, como a nova equipe, os novos equipamentos, o novo cliente etc. Por exemplo: “Próximo post estamos em desenvolvimento de novos projetos “.

19- Post debate:

Proponha o debate e deixe que as pessoas deem opiniões, defendendo lados, mesmo que opostos.

20- Tutorial

O passo a passo para ajudar seu público a fazer alguma tarefa. Seja bem objetivo e prático para gerar engajamento.Por exemplo: “Como ganhar muitas curtidas e seguidores no Instagram

21- Para baixar:

Entregue PDFs, gráficos, planilhas, imagens.… qualquer conteúdo que seja relevante ao seu público para resolver problemas. Eu uso bastante essa estratégia. Uma das minhas produções é: “[E-book] 10 maneiras de como aumentar suas visitas vindas do Google”

22- Falar sobre assuntos curiosos chama muito a atenção.

Procure curiosidades da sua área e compartilhe-as com seu público. Por exemplo: “Você sabia que é possível ser o primeiro colocado no ranking do Google trabalhando com

palavras-chave?”

Para mais dicas como esta siga a página das redes sociais @camilasilveiraoficial

Continue lendo

Ciência

O período das águas chegou e os ectoparasitas têm o ambiente ideal para proliferação.

Publicado

em

De

O período das águas chegou e os ectoparasitas têm o ambiente ideal para proliferação.

O período das chuvas está chegando com força, devendo atingir o pico nos próximos meses. Com isso, os pastos ficam mais verdes, o gado ganha mais peso e os pecuaristas contabilizam mais arrobas. “O momento seria ideal não fossem os parasitas, que têm no período mais quente do ano – que também é extremamente úmido – as melhores condições para se disseminar pelo rebanho”, explica o médico veterinário Thales Vechiato, gerente de produtos para Animais de Produção da Pearson Saúde Animal.

 

É o momento de ficar ainda mais atentos à presença de carrapatos, mosca-dos-chifres, bernes e demais parasitas. Sua presença está diretamente associada aos índices pluviométricos e aos níveis de umidade  e calor.

 

Carrapatos e bernes estão entre os mais temíveis inimigos da saúde dos bovinos nesse período do ano. Além de prejudicar o ganho de peso, comprometem o couro. “Quando os animais têm de 20 a 40 bernes, a perda de peso fica entre 9% e 14%. Já no couro, de 10 a 20 perfurações nas áreas mais nobres são responsáveis pela redução de 30% a 40% do valor comercial”, exemplifica o especialista da Pearson.

 

O carrapato merece atenção especial porque carrega o status de mais importante ectoparasita de bovinos do país, devido aos enormes prejuízos financeiros que provoca – estimados em R$ 15 bilhões ao ano. Vechiato ressalta que ao contrário do berne e da mosca-dos-chifres, por exemplo, o carrapato não é sempre visível. “Cerca de 95% da população está no ambiente em forma de ovos ou larvas de pulgas. Dessa forma, a atenção tem de ser dobrada: no pasto e nos animais”, diz.

 

A incidência da mosca-dos-chifres também aumenta explosivamente no verão, sendo quatro vezes maior em relação ao período seco. Sua presença tem impacto direto no bolso dos produtores e ocorre em todas as regiões do país, tanto nos rebanhos de corte quanto nos de leite. “Segundo a Embrapa de Gado de Corte, vacas com 120 insetos têm fertilidade reduzida em 5%; se a população sobe para 300 moscas, são menos 100 gramas de ganho de peso por dia”, informa Thales Vechiato. “Em casos críticos, a presença de 500 moscas representa perda anual de aproximadamente 2,5 litros de sangue. São 40 kg a menos de peso vivo! No caso da pecuária leiteira, a redução é de 5 a 15% na produção de leite. Em um cenário de preços voláteis, qualquer perda é expressiva”.

 

O controle de parasitas está diretamente relacionado à utilização de eficientes produtos para saúde animal, especialmente os que têm ação carrapaticida, mosquicida, bernicida e vermicida, simultaneamente. “Este são os mais indicados porque atuam de forma mais eficaz e assertiva, reduzindo o tempo de aplicação e facilitando o manejo. Com fluazuron associado à abamectina, Proatac, da Pearson Saúde Animal, é a multissolução ideal para o necessário controle estratégico. Em caso de infestação, a recomendação é a aplicação de produtos com clorpirifós, cipermetrina, butóxido de piperonila e geraniol, repelentes de alta eficácia, presentes em Bovecto Pour On”, sugere Thales Vechiato.

 

FONTE: Texto Comunicação

 

Continue lendo
Propaganda

Destaque